O CATALOGADOR

O CATALOGADOR

CATALOGADOR
HISTÓRICO DE CRIAÇÃO
O CATALOGADOR foi criado em 2010 e apresentado nas mídias sociais como o facebook, google+  e blogs, adquirindo um fandom fantástico.

O personagem foi criado para ser uma espécie de “elo de ligação” entre os vários Universos Independentes, que na verdade seriam os microcosmos de cada autor onde são desenvolvidos suas histórias e seus personagens e que quase sempre são fechados em sí com seu início meio e fim. E nesse particular o Catalogador poderia facilitar esta inter-relação com os outros personagens, possibilitando encontros que não alterasse o que cada autor teria planejado para seu herói dado a sua condição cósmica de imiscuir-se nestes “universos” sem ferir estas continuidades. Por exemplo, poderia possibilitar “encontros” entre personagens do futuro e do passado, de cidades fictícias e cidades reais sem alterar o satuts quo de cada um.

Mas quem é o Catalogador?! ...é um poderoso ser de vasto poder cósmico, oriundo de uma Ordem de Avatares conhecidos por Antigos, dado a sua lendária existência. É um ser solitário, que como o próprio nome indica – busca nos Universos Independentes seres também especiais - ( heróis, anti-heróis, vilões, etc ) que em algum momento, possam fazer frente a qualquer desequilíbrio entre a Ordem e o Caos, registrando todos em seu Tomo do Infinito.

O Catalogador, na sua condição de quase um Deus, em sua trajetória, teria utilizado desmedidamente seu poder cósmico e dizimado uma galáxia inteira, suprimindo bilhões de outros sistemas estelares e suas vidas. Outros Antigos, também andarilhos cósmicos, por esta atitude se reuniram no I CONCLAVE CÓSMICO para interferir ante a tamanha afronta a ordem natural da vida, foram eles: A PENA, O LOBO, A FÁBRICA, ZÊNITH e a LANÇA e ante a um senso pré estabelecido, uma espécie de landmark, uma lei pétrea que permite a eles, neste formato a criar um tribunal de sentença, julgar e punir. O Catalogador foi julgado e punido com sua essência vital partilhada em cinco partes e dispersas em lugares não sabidos e distantes que não pudessem se conectar, uma vez serem imortais. Por centenas de bilhões de eras assim permaneceu até ser necessária novamente sua presença no status do Equilíbrio. Sua partes foram reintegradas e sua essência recompostas sob restrições penais de não interferir diretamente nas contendas cósmicas e com limitações para uso do seu poder em batalhas pessoais que não ceifem vidas. Por isso, passou a compor o Tomo do Infinito e a se utilizar de outros serem poderosos para manter este e dito equilíbrio cósmico entre a Ordem e o Caos. E assim permanece...

PODERES
Tem poderes para manipular o tecido cósmico do tempo e barreiras dimensionais. É um “catalogador” de dados e nada escapa ao seu registro ( ou escapa?)... Pode manipular energias ao seu redor proveniente da “dark mater” a fonte primordial da construção do Universo e transformar em força para ser canalizada em formas de rajadas, escudos, etc... Muito dificilmente usaria esta forma de energia para ataques, visto sempre se utilizar dos titãs que registra e convoca...

Seu tamanho é de um homem normal mas, pode variar sua estatura como desejar, dependendo do momento e ou circunstancia... Pode se tornar tangível e intangível... Pode duplicar sua imagem nos vários universos independentes e conversar consigo mesmo...

Tem como auxiliares os hologramas prismáticos, que servem como portais para armazenar dados no espaço (como uma tela de computador)... Servem também como transporte dos avatares ou dele mesmo e ou portas se abrirem para os outros universos. O principal deles e o primeiro - é Berillo, constituído da massa de uma estrela anã e auto consciente, o único a coordenar todo o saber e arquivos do Tomo do Infinito – é o Mordomo da Costela de Adão, morado do Catalogador.
Seus olhos são vazados, todo preto, não têm íris a não ser se transitar como um mortal e entre eles...
Obs.:
Como um personagem CC, pode ir adquirindo alguma outra característica a ser atribuída por quem o utilizar desde que não saia de sua concepção original...

PUBLICAÇÕES
Debutou no meio impresso em 2012 no zine Fábrica de Monstros e depois em vários outros zines e publicações independentes espalhados pelo Brasil. Em 2013 teve uma aventura solo com O Garra Cinzenta com os selos do HQ Quadrinhos + ROX Quadrinhos numa publicação digital, na revista Universo Brasil.

Participou também, possivelmente do primeiro crossover entre personagens brasileiros e americanos do meio independente, na série COSMOS.


Ainda no meio digital, esteve com o Escorpião de Prata de Eloyr Pacheco, também no projeto de Carlos Henry (Blenq, Astro e Gato), com Capitão Brasil e Ciclone, com personagem Xamã de Eberton Ferreira, participação na revista Carrapato de Tony e Cortizo, nos zines de Jimmy Darwins e Douglas Camilo, na revista de Carlos Nunes e no Projeto A Ordem de Elenildo Lopes,  no projeto Guerras Cósmicas de Marcos Gratão e Lancelott e ainda com os personagens de Anísio Serrazul, projeto Convergência Primordial de Rafael Tavares e sua série solo no Projeto ENCONTROS que reúne heróis do passado do Quadrinho Brasileiro. ( Imagens abaixo...)
Lance